Eu me amo! O egocentrismo auto-induzido pelo Formspring.

26 jan

por Serginho Colombo.

Estamos em 2010, mais (menos) uma década se passou, a internet é indispensável para podermos continuar a respirar. Quando me refiro a respirar, no sentido metafórico, digo que uma alta porcentagem das tarefas do cotidiano do ser humano se amparam e chegam a uma conclusão com base nela.
O estudante participa de fóruns sobre o assunto que lhe é adequado, o Advogado troca informações com os colegas de profissão, o Jornalista se atenta a tudo que lhe é cabido, o Poeta, Roteirista, Escritor, Empresário, Candidato a Eleição, Publicitário e etc.
leia na íntegra.

O que me faz rabiscar o presente artigo é a nova tecnologia que me parece deslumbrar os jovens internautas usuários do Orkut, o tal do FORMSPRING.
A priori, ressalto que não são todos os usuário do Orkut que são adeptos da brincadeira de perguntas e respostas, pois do Orkut ainda pode se extrair algum conteúdo, como o download de filmes em comunidades, participação em discussões, recebimento de materiais para estudos, baixar álbuns na íntegra e promover o famoso flerte.

É engraçado observar a vaidade das pessoas que de minuto a minuto pressionam a tecla F5 prontas a publicaram alguma perguntinha nova. Me pergunto se existe meio maior para uma afirmação por conta de terceiros?

Pelas investidas que dei com base em alguns perfis para formar uma opinião para esse texto, é notório que as pessoas clamam por elogios e mais elogios, abdicando (na maioria dos casos) da identidade dos ‘indagadores’ para ao final se sentirem bem, ou pelo menos atualizadas.

“Você é linda sabia?”
“Você ficaria com Fulano? Hihiihi”
“Qual a pessoa mais bonita?”
“Você prefere a X ou a Y?”
“Hummmm, é verdade que….”

E por fim, o que é mais divertido são as perguntas que já esperam uma resposta, do tipo: “Você já superou o fim do seu namoro???”, quando quem desferiu a pergunta é o próprio ex-namorado, destarte espera ainda por sua amada.

Não vejo algo produtivo que se pode extrair do tempo que se é dedicado ao FORMSPRING, sou da opinião de que a vida é ao vivo, que uma troca de olhares quantifica o que será dos dois, uma dança ritmada por um hit vale mais que a madrugada na cadeira do computador, um drink com pessoas agradáveis supre as posições ensaiadas para o auto-click da câmera digital em frente ao espelho.

Anúncios

7 Respostas to “Eu me amo! O egocentrismo auto-induzido pelo Formspring.”

  1. strikingquadra 26 de janeiro de 2010 às 21:35 #

    concordo 101% com o último paragrafo.

    a meu ver, esse formspring nao vai ser uma nova febre como twitter. ele parece interessante nos primeiros cinco minutos mas depois o proprio usario tende a cansar com o excesso de perguntas estupidas feitas no anonimato.

    e como o texto bem disse, nao tem nenhum teor informativo a nao ser exclusivamente sobre a pessoa dona do perfil.

    é como sentir-se alguem famoso por alguns instantes. como se respondessemos a pergunta a um reporter de alguma revista. nos sentimos importantes assim. nao há tanto mal nesse sentimento, porem se voce usar essa ferramenta por mais de um mes e nao se cansar… cuidado.
    =)

    gabriel

    • espirrodabrisa 26 de janeiro de 2010 às 22:47 #

      Achei perfeito o artigo. E não poderia vir em hora melhor, já que hoje mesmo critiquei esse ARTIFÍCIO para um amigo.

      A patologia tem nome e se chama carência afetiva. Acho que vivemos em uma sociedade carente, apesar de tudo.

      Gosto do seu estilo ácido.

      Abraços.

  2. conrado 27 de janeiro de 2010 às 8:01 #

    Revista, cara nova! gostei =)
    agora conversar com estranhos, carência afetiva.. bem, é válido, é lícito.

  3. @soulomaeda 27 de janeiro de 2010 às 14:22 #

    Vale lembrar que a Internet nunca veio com o propósito de substituir as relações cara-a-cara. São poucos que afirmam e fazem isso, e na maioria das vezes, falta um psicólogo pra esses.

    Acho que o FormSpring tem seus benefícios, mas não tem sido usado pra isso em 99% das vezes. Seria interessante o uso do serviço para a coleta de perguntas em fóruns e debates que são transmitidos ao vivo, como os que acontecem no Fórum Social, Campus Party e mesmo em palestras e congressos de uma seriedade bem maior. O povão está conectado mesmo, que juntem então a chance de fazer perguntas pessoalmente com o retirar daquela figura de “mande sua pergunta por e-mail”.

    Mas, não dá pra esperar um uso consciente e baseado no bom senso de algo que será usado por toda a população que se encontra online. E nem falo somente da população online brasileira, mas do mundo todo. O uso desregrado de serviços que se tornam popular é algo comum. Se você exigir um certo nível intelectual, o uso fica elitizado e poucos vão usar. Se você acha que poucos vão usar e abre o círculo de participação, vai acabar se deparando com absurdos.

    E isso em qualquer coisa. Quem já teve contato com a área jurídica, sabe que são pedidas coisas que você mal acredita que aquilo tá num papel pra um juiz ler e dar um parecer. Com a liberdade de expressão não acontece e aconteceu a mesma coisa? Antigamente o poder de se expressar era limitado e ainda assim havia os que usavam desse privilégio de forma errônea. Hoje, com a total liberdade, temos listas e listas, blogs e mais blogs, serviços e mais serviços que deixam que usemos essa liberdade. Mas a maioria prefere falar o que aconteceu com o gato hoje de manhã do que usar essa liberdade pra falar e fazer o que realmente deveria quando uma situação que, coletivamente ou pessoalmente, desagrada.

    Prefiro realmente pensar da seguinte forma, apesar de um tanto egoísta: eu tenho a consciência de como usar um serviço “tal” de melhor forma quando eu achar necessário. Assim aconselho aqueles ao meu redor. Azar daqueles que o usam de forma irresponsável.

  4. ntnio 27 de janeiro de 2010 às 15:12 #

    “sou da opinião de que a vida é ao vivo, que uma troca de olhares quantifica o que será dos dois”

    Eu também.

    ntnio

  5. espirrodabrisa 27 de janeiro de 2010 às 18:02 #

    Talvez seria mas interessante se soubéssemos com qual propósito o Formspring foi criado. Mas há como saber isso?

    • @soulomaeda 27 de janeiro de 2010 às 18:19 #

      De acordo com o site, bem simples:

      “formspring.me is a site where you can send and receive anonymous questions, and learn more about people you find interesting by following their answers”

      Nada de extraordinário, cult ou babaca demais. É aquela: use da forma que achar mais útil.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: