The Art of Negative Thinking. Humor negro de primeira qualidade.

19 maio

por SQ.

Podemos rir das desgraças? Será o riso imoral diante de uma situação trágica? Ou por outro lado seria o riso uma força amoral, ou seja, desprendida dos valores éticos e portanto liberada em sua total fruição? Rir ou chorar? A história desse filme norueguês mostra pessoas com deficiências físicas e/ou mentais. Poderia muito bem ser um filme com trilha sonora pesada, reflexiva e com foco expressionistamente triste; mas o filme tem risos, maconha, bebedeiras e Johnny Cash.
leia na íntegra.

Geirr é um paralítico viciado em armas e filmes de guerra. Ele adora fumar maconha, tomar uns copos de cerveja e se automedicar, mas sua principal característica é o pensamento negativo.

Sua filosofia meio niilista-pessimista-realista se choca diretamente com o pensamento positivista e otimista de Tori, uma terapeuta que lidera um grupo de deficientes. Ela é convidada pela mulher de Geirr a levar essas pessoas para a casa do casal na tentativa de socializar o paralítico pessimista.

Mesmo acostumada a lidar com seus pacientes, Tori vai ter muito trabalho em persuadir Geirr de que o otimismo é melhor que o negativismo. Durante as sessões de terapia em grupo a terapeuta perde espaço e Geirr vai conquistando aos poucos a simpatia dos outros pacientes e a sua arte de pensar negativamente ganha força.

Em uma sequência de situações divertidíssimas (para quem aprecia o humor negro) o riso surge na consciência da tragédia e da gravidade dos problemas. Em outras palavras: a idéia de amenizar os problemas dos deficientes com frases do tipo “seu problema não é tão ruim assim” não funciona. Pela filosofia de Gerr, a desgraça é exposta em sua totalidade, não se tenta disfarçá-la. É algo mais ou menos assim: você é paralítico e está fodido; não há nada de bom nisso.

Paradoxalmente o grupo encontra prazeres, mesmo “estando na merda”, e desfruta momentos interessantes após a consciência real dos seus problemas. Após a revolta, a consciência, o absurdo, enfim, o riso. Como queria Camus.

Sempre tento usar o último parágrafo para persuadir o leitor que até agora não se interessou pelo filme. Dessa vez a última tentativa fica com o filme Franco-Atirador. Aquele clássico com Robert de Niro, Meryl Streep e cia. Gerr é fanático por esse filme e durante uma cena… bom não vou ser spoiler. The Art of Negative Thinking vale muito à pena, confie em mim. Ou não confie, assista pra me contradizer.

Link do filme + legenda.

Anúncios

Uma resposta to “The Art of Negative Thinking. Humor negro de primeira qualidade.”

  1. Conrado 24 de maio de 2010 às 20:59 #

    gostei bastante do filme. não ri muito, mas gostei. Acho que sou meio preconceituoso, não fui muito com a cara do humor negro.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: